27.5.08

olhando as fotos, eram tantas.
cadê eu.? eu, não há. nem lua, nem Luara, nem coisa nenhuma. como dizer.? não me prendem as fotos, me prendem muito mais os momentos, as lembranças.
não tenho tantas ganas pela minha imagem no papel fotográfico. (parece quase um crime, um não gostar das pessoas, mas não. é só uma extrema ausência da necessidade de me ver pra sempre lá.)

- quando eu deixar de ser, fica mais fácil me deixar partir se não tiver a minha imagem prendendo sentimentos, lembranças.

2 comentários:

Bruno Dumont disse...

quando tu deixar de ser, fica metade de mim inexistente.

marcia cardeal disse...

Me lembrei de mim. (Ariel sempre me fala de você). Bom isso aqui! beijo