27.1.09

[do amor, II]

- e então, fica sendo assim: você me paga, eu não apareço mais.
- não precisa ser assim.
- sempre foi assim.
- nem sempre.
- nem sempre você pagou.
- agora a questão é o dinheiro?
- sempre foi.
- e o amor?
- teu amor, pra mim, é merda. sempre foi.
- você me agride.
- você me cospe, a anos. dá o dinheiro.
- isso é pecado.
- foda-se.
- é feio quando diz palavrão.
- é feio você inteiro.
- você parece a sua mãe.
- ainda bem. que eu nunca quis ser que nem você, pai.


[um cigarro se desloca ao longe, um homem chora na sarjeta.]

2 comentários:

Alice disse...

Bah, que forte!

Mundando de assunto: legal o lay out novo! ;)

Fraturas Expostas disse...

putaqueopariu hein lua?

perfeito.