20.3.11

Domingo sem parque.

Está definitivamente frio. É domingo, e o sol não saiu nem para um bom dia. É domingo, e sinto o cansaço de uma sexta. Mas não me importo de estar trabalhando: ligo o automático e deixo as músicas mexerem tudo que tem dentro de mim. Eu me sinto feliz por ter debutado tão bonitinha nas aulas. Eu serei professora, dá pra acreditar? Logo eu! (e dava pra duvidar?)
É engraçado como de repente eu calhei de ter responsabilidades, e isso não muda o fato de eu ser isso que todo mundo já previa que seria. E eu ainda sonho, ainda rio, ainda vivo de amor. Parei de trabalhar pra ler meu blog - e acho lindo. É muito amor pra uma Lua só, e é mesmo. E eu não quero que pare, eu não quero que acabe. Eu achei lindo de me dizerem que eu levei amor pra uma turma lá. E sem querer. Todas as noites eu agradeço os amores que me sobram do dia todo.
As paredes continuam desenhadas, o meu espírito continua muito livre. Está definitivamente frio para o meu aniversário. Eu não quero os parabéns, eu já tenho tudo o que eu preciso. Acho que não tem ninguém vivo para lembrar. Mas desde 2006 até 2010 eu sofri muito para aniversariar. Eu chorei muito, eu não quis. Agora, eu só espero o futuro que me espera.
É meu último domingo. Não tem sol. Não tem parque. Mas tem EU, resistindo ao mundo adulto, resistindo a virar pedra.

Obrigada por todo mundo. Que vem, que lê, que sente junto. Por quem não lê, mas vive junto, tudo a pulsar. Obrigada por quem sonha, obrigada por quem sente, obrigada por quem ama.

Eu estou pronta para todo amor que houver nessa vida.

4 comentários:

Marcelo Mayer disse...

Ora, é domingo. fazer o que, né?

Lorena disse...

acho tao lindo td q tu escreve...o jeito que tu escreve. so queria dizer q te acompanho, apesar de muitas vezes, na verdade, na maioria das vezes, nao expressar minha comunhão com as coisas q tu externa.

mas adoro. =)

bjos,

lorena

Agnes Aguiar disse...

Venho sempre passear aqui, quieta. Teu cantinho me faz bem. É por isso que volto. E fico.

miracora disse...

mas a adultisse não transforma em pedra quem não quer ser transformado.
a sabedoria liberta!
a adultisse pode transformar em água também, meninamor!
e dêxa passá o dia, só assim vejo a Lua.