9.3.11

Tá tudo errado.

O melhor das histórias é que ela são muitas. As que aconteceram, as que não aconteceram e as que nunca vão acontecer. E, claro, as que não devem ser lembradas mas não podem ser esquecidas. As histórias de rir, de chorar e de doer. Os personagens que eu não sei o nome, as datas que se embaralham na idéia. Um só lugar, uma personagem. E tudo que fez meu mundo mudar de lugar. E o melhor, é que as histórias não precisaram ser contadas nem lembradas. Porque em um ano serão histórias novas.

Camisinha feminina gigante. Ode à alegria. Prato feliz. Absinto-whisky-cerveja-dréier. Vizinhada. Amor coletivo. Ponto de abdução. Lama. Kaiser quente. Chuveiro gelado. Poncho. Lomo. Dupla face. Live only once. Papelzinho mágico. Pizzadália. Plantar árvores. Biodança. Conjunto cheio, conjunto vazio. Casacos e cooler. Ponto de intersecção. Isso não é a realidade. Eu não vou embora. Vagner. 1/4. Platô. Mesa de sinuca gigante. Pavão imaginário. Viagem no tempo e no espaço.

E todos prontos pro amor.

Um comentário:

muita vontade de escrever disse...

Conta tudo amigue!