1.12.11

penso quantas vezes em um dia quero te encontrar.

E, antes que eu consiga pensar como revidar os impropérios que o mundo diz, eu sei que você saberia a resposta. Mais que isso, que você saberia a resposta que eu preciso ouvir. Porque fazer as escolhas que fazemos não é fácil. Nunca foi.
Você tem aquela coisa enraizada em você. Aquela coisa que te faz ser linda, e forte. Eu não sei entender, eu só consigo olhar e me sentir tocada por isso. Porque você tem luz. Porque não me importa o quanto nós consigamos errar pelo caminho - e nós estamos erradas, não tenha dúvida - insistir no erro é o que devemos fazer. É o nosso devir.
É não aceitar as regras nas pequenas escolhas. Em cada uma dessas escolhas que me fazem querer desistir da vida. As minúsculas escolhas em que o nosso miniuniverso desaba, em lágrimas e bolhas de sabão.

Quando eu tomo consciência da sua existência, menine, eu sei que eu estou certa. Porque ter uma mão pra me amparar cada vez que eu sei que o próximo passo vai me lançar em mais um abismo dentro de mim, e se não houver um pé cravado na realidade, eu nunca mais voltarei. Você é a volta. A cura.
A cura pra desgraça de existir em mim.

(esse é meu jeito escroto de declarar amor. amor que não é boa noite.)

3 comentários:

Renata (Love), como vc chama disse...

Eu só vi isso agora. Isso que é a declaração de amor mais linda que eu já ganhei na vida, com mais poesia e mais mel (mesmo quando misturado ao guaraná em pó).
Te amo.

Nathane Dovale, disse...

"amor que não é boa noite" ;)

Anônimo disse...

Voltei hoje pra ler tamanha a saudades de você.