18.9.10

há uma semana, ele não existia, e agora parece conter todos os meus tempos.
um homem que nasceu num domingo a noite, das mãos de quem entende meus mais profundos. e agora, o homem me põe louca, me engole a vida, parece entender tudo aquilo que eu não consigo verter em palavras.

uma mistura de psicanálise, amor, sexo e meus anseios mais desesperados, e eu nunca gastei uma semana inteira com um livro tão curto. prefiro ficar com ele a sair pro mundo, e ele dispara o coração e me dá sudorese nas mãos trêmulas.

eu preciso terminar esse livro, senão eu enlouqueço.
eu não posso terminar esse livro, senão eu morro.

4 comentários:

l u a * disse...

eu terminei.
e não sei o que dizer.

Ludmila Melgaço disse...

Lua, sua linda!
Me dá esse texto todinho pra mim, dá??
Puutz, minha semana é essa aí também. Sem tirar nem por.

"parece entender tudo aquilo que eu não consigo verter em palavras."

Os outros que me perdoem, mas o meu fraco é pelos poetas! rs

beijooooooo!

flor disse...

as vezes, melhor assim. hehe
saudade de você, linda lua.
convite da flor aqui: vamos tomar uma cerveja?

beijo-beijo.

so sad disse...

outro dia me vi assim, larguei o marido no fim de semana pq simplesmente nao consegui parar de ler o livro...
beijo!