30.7.10

Sobre as mulheres [ou Não acho que as mulheres, como gênero, mereçam um conto inteiro.]

Amélia, desesperada por sentir amor, comeu doze rosas vermelhas (que ela mesmo comprou).

Alice foi deixada pelo marido, que sentia ciúmes da maneira que ela olhava o gato.

Carolina, antropóloga, casou com uma travesti lésbica, e foi assim que conheceu o homem mais doce e a mulher mais racional da sua vida.

Joana desistiu de ser independente e bem sucedida, foi vender coco na praia, se apaixonou por um caiçara e está grávida de gêmeos.

Marina queimou o sutiã na frente do pai e foi para o baile funk.

Elisete roubou a igreja para comprar sapatos amarelos.

Beatriz dirige caminhão. Sem camisa.

5 comentários:

~*May*~ disse...

As mulheres, em suas diferentes faces, se fazem tão iguais, todas são lutadoras de seus ideais..

Felipe Jordani disse...

Gostei.

.p. disse...

Pá!

muito bom isso.

Brenda Matos disse...

AMEI!

Quanto tempo que eu não te leio.
Super senti falta.

Beijos, lua. :*

Nhock disse...

Májjj.
Curti demais!
:D

Saudades, Luér.
s2